Archive for January, 2008

Planos, muitos planos

Thursday, January 31st, 2008

Gente, como o tempo tá passando depressa. Hoje já é o último dia do mês e o Carnaval já tá batendo à nossa porta, wow! E eu ainda tenho tantos planos pra concretizar e tanta coisa pra fazer! Mas tudo a seu tempo, tudo a seu devido tempo… nada como um dia após o outro!

                                      

Sentimento ruim

Thursday, January 31st, 2008

Cara, tanta coisa acontecendo, tanta gente se dando mal, tanta mentira vindo à tona, tantos hipócritas colhendo o que plantaram… juro que dá vontade de dizer: "tomaaaaaa, eu falei, eu sabia, o que aqui se faz, aqui se paga, o que vai, volta", mas não digo, nem penso e ainda faço um esforço e flutuo acima de tudo e de todos e não me deixo seduzir por esse sentimento ruim. Se isso acontecer, se eu sucumbir, eu me igualo a todos eles e isso eu não faço! Eu sou mais eu.pontocom.pontobr!

Dia da saudade

Wednesday, January 30th, 2008

Hoje, por acaso, li que era o Dia da Saudade, substantivo feminino (tinha que ser!) e parei pra pensar o que me dá saudade.

De pessoas? Não, eu sempre vejo quem gosto seja pessoalmente ou falando por telefone ou vendo fotos ou via Skype, MSN, Orkut e afins. E se não gosto, apago da mente, simplesmente deleto, posso até passar em frente à pessoa, mas se ela não me diz mais nada, nem sinto raiva nem sinto amor, apenas não sinto nada, então não posso ter saudade de alguém assim.

De coisas? Se ainda tenho, não tem problema. Se não tenho mais, é porque o ciclo dessa coisa já tava no fim e encerrou-se para outro começar, então tá empatado.

De sentimentos? Cada sentimento é diferente de pessoa para pessoa e o que sentimos por uma pessoa não é o mesmo que vamos sentir por outra, então só se tem a lamentar ou lembrar com carinho, mas saudade não rola.

Ou seja, saudade mesmo eu só tenho dos meus gatos quando eu viajo. Ah, como é bom chegar em casa e ver aquelas sete fofulências vindo em minha direção, ouvir aqueles miados, sentir aqueles bigodinhos fazendo cócegas em meu rosto enquanto eu os beijo, senti-los roçar minha perna, ouvir aquele ronron que, multiplicado por sete, faz até um barulhão… ah, disso sim eu sinto saudades!

Pro resto, nada que Mastercard em seis vezes não resolva, né, não?

                                         

Exemplo de cidadania

Wednesday, January 30th, 2008

Ultimamente, a gente tem visto na tv, nos jornais e até mesmo nas ruas como eu descrevi esta semana, sinais de impunidade que já vêm de berço, mas graças a Deus temos exceções a essa regra. Ontem, encontrei uma vizinha super simpática no elevador e ela me contou que seu filho iria se mudar hoje para o apartamento em cima do meu. Dei as boas vindas a ela e desejei muita sorte para ele em seu novo lar.

Quando chego em casa hoje, ouço o maior barulhão. É arrasta-arrasta de móveis, ferramenta caindo no chão, furadeira, enfim, uma zona total. Mas eu me lembrei do que a vizinha disse e nem me preocupei, pois já me mudei e sei como é.

Não tinha passado nem meia hora que eu tinha chegado em casa, a mesma vizinha me telefona. Era para pedir desculpas pelo barulho, dizendo que os caras que vieram montar os móveis do filho dela se atrasaram e que eles iriam precisar ficar mais algum tempo fazendo algum barulho.

Realmente, me surpreendi com este exemplo de cidadania. Ah, se todos fossem assim. Certamente que eu disse que não tinha problema algum e até me prontifiquei a ajudar com alguma ferramenta ou mantimento ou algo que pudesse faltar para eles, afinal de contas, eu também tenho senso de cidadania e não há nada pior no mundo que vizinho que briga com vizinho, né? Fala sério.

Agora tá barulho? Tá, mas só o fato de ela ter ligado para pedir desculpas antecipando-se a, porventura, alguma reclamação minha, já ganhou todo o meu respeito. Imprevistos acontecem e a gente tem que estar aberto para ouvir o outro lado e se colocar nele. Somente dessa forma a gente consegue viver em sociedade sem se estapear a cada problema que aparece!

                                         

Bono Vox em Balneário Camboriú

Wednesday, January 30th, 2008

Calma, calma, não saiam correndo comprando passagem para cá, ele não vem dar show, não. Pelo contrário. Pelo jeito, vem é depor, hah! Vejam esta matéria que me foi enviada por um amigão (melhor ocultar o nome neste caso, hahahaha). Gente, do jeito que andam as coisas por aqui, o forum vai ficar lotado!!!

                                         

Carnaval: por que tão cedo?

Wednesday, January 30th, 2008

Alguém me fez essa pergunta há um tempo e eu não me lembro quem foi, portanto, espero que essa pessoa esteja lendo aqui a explicação a seguir que eu achei no Diarinho, dada pelo professor e teólogo, Sr. Felipe Aquino:

Segundo o que prescreve o livro do Êxodo, no capítulo 12, os judeus celebravam a Páscoa no dia 14 do mês de Nissan. Era a celebração da libertação da escravidão do Egito para a liberdade da Terra Prometida por Deus a Abraão.

A Igreja Católica celebra a Páscoa cristã, Ressurreição de Cristo, acompanhando de certa forma a data da Páscoa judaica. Como o calendário judeu era baseado na Lua, então a data da Páscoa cristã passou a ser móvel no calendário cristão, assim como as demais datas referentes à Páscoa. Tanto na Igreja Católica como nas Igrejas Protestantes e Ortodoxas.

O primeiro Concílio Geral da Igreja (Nicéia, 325 DC) determinou que a Páscoa cristã fosse celebrada no domingo seguinte à primeira Lua cheia após o equinócio da primavera do hemisfério Norte (21 de Março), podendo ocorrer entre 22 de março e 25 de abril. Em astronomia, equinócio é definido como um dos dois momentos em que o Sol cruza o plano do equador celeste. Os equinócios acontecem em março e setembro e são as duas ocasiões em que o dia e a noite têm duração igual.

Neste ano, a lua cheia acontece no dia 21 de março. Assim, a Páscoa será no dia 23 de março, que é o primeiro domingo após a lua cheia. No ano que vem, a Páscoa será em 12 de abril. As datas móveis que dependem da Páscoa são: Terça-feira de Carnaval (quarenta e sete dias antes da Páscoa), Quaresma (tem início na Quarta-feira de cinzas e termina no Dimingo de Ramos, uma semana antes da Páscoa), Sexta-feira Santa (a sexta-feira imediatamente anterior), Sábado da solene Vigília Pascal (o "sábado de aleluia", na véspera), Pentecostes (o oitavo domingo após a Páscoa) e Corpus Christi (a quinta-feira imediatamente após o Pentecostes).

                          

Viram só? Diarinho e Rosinha também são cultura! E obrigada ao Prof. Aquino pela excelente explicação!

Frágil

Tuesday, January 29th, 2008

Quem tem telhado de vidro não devia jogar pedra no telhado dos outros, concordam? Em um romance onde acontece um crime, o culpado é sempre o mordomo. Na vida real, a culpa sempre recai sobre motoristas, secretárias, amantes, parentes próximos, até mesmo advogados, ou seja, os que gravitam em volta dos envolvidos que, na maioria das vezes, não vão presos (se lembram do caso do PC Farias onde a única pessoa presa foi a secretária? Pois então…). Tem gente que vai passar horas em claro daqui pra frente e não vai mais ter sossego. A verdade tarda mas não falha, mesmo quando se usam os argumentos mais mentirosos e as armas mais baixas. Aqueles que têm ódio no coração e não sabem perdoar, no final, vão sentir na pele a dor da pedrada certeira. Tudo que vai, volta. É por essas pessoas que eu rezo muito, pois elas não sabem o que fazem. Ou sabem e enganavam bem até agora. A justiça é que vai decidir. Eu, pelo menos, durmo tranquila, como sempre.

                                             

Quanto mais alto…

Tuesday, January 29th, 2008

… maior é o tombo. Esse é um ditado bem antigo, mas tão certo… Ontem eu vi isso acontecer. Tombaço, de primeira, tipo fruta madura caindo do pé, daqueles que só faltava a imprensa pra fotografar, hahahahaha por incrível que pareça, não ri. Na hora, né? Disfarcei legal, mas depois… Acho que foram as pragas que foram rogadas… pragas certeiras… não minhas, pois as minhas, infelizmente, não pegam. Mas conheço alguém que tem uma boca santa… quero morrer sua amiga, viu, benhê! Nós duas como dupla somos infalíveis: uma roga praga e a outra joga luz branca, hahahaha

                                       

25ª Festa Pomerana

Monday, January 28th, 2008

E ontem foi o último dia da 25ª Festa Pomerana em Pomerode e como eu tenho feito nos últimos quatro anos, fui com amigos bater meu cartão lá. O dia tava meio nublado e até garoou, mas quem se importava? Muita alegria, muita gente vestida à caráter, muita cerveja alemã (Eisenbahn e Schornstein são as minhas preferidas) e, claro, muita comida, muita comida mesmo.

E também muita gente falando em alemão. O que o povo não contava, porém, era com meus olhos de lince (como diz um amigo) e minha experiência de anos como professora desse idioma. Já de cara eu vi um erro de grafia em uma das placas… em vez de "Schnell" (=rápido), a placa estampava um enorme "SchEnell" e isso doeu bem no fundo do meu Herz (= Smiley)… isso é um erro básico e é inadmissível que alemães não tenham notado! Das três placas, apenas uma tinha o erro e é bem capaz que ninguém tenha percebido mesmo, mas eu vi e isso me deixou deveras brava, humpf!

25festapomerana_schnell.jpg

Mas nada que um bom almoço com marreco recheado não resolva, né? Após o almoço com direito a discurso do governador em exercício e do Beto Carrero, fizemos a digestão andando pelos pavilhões vendo as danças típicas, o pessoal nos stands de tiro ao alvo e o mais divertido de tudo: a corrida de tamancos. A brincadeira parece fácil, mas não é. Você tem que correr 40 m com uns tamancos de madeira e o vencedor percorreu essa distância em apenas 8 segundos, o mesmo record que bateram os serradores de lenha (um tronco enorme de madeira era colocado no meio do palco e as duplas tinham que serrá-lo ao meio com uma serra dupla).

Aqui, uma foto mais de perto para vocês verem os tamancos:

25festapomerana_tamanco2.jpg

E aqui, a rainha da festa e uma amiga se preparando para a corrida. Juro, nem que o tamanco fosse amarrado nos meus pés eu conseguiria, que dirá com ele solto assim! Era tombo atrás de tombo! Mas ninguém caiu, apenas uns dois competidores perderam os tamancos pelo caminho!

25festapomerana_tamanco1.jpg

De volta aos pavilhões, me encontrei num grupo simpaticíssimo e animadérrimo de rainhas e princesas da terceira idade, uhuuuu!!!

25festapomerana_3___idade.jpg

Em seguida, voei para o chão… um gato siamês muito dócil numa coleira, imagina se não fui até lá enchê-lo de beijos. E imagina se não quero fazer isso com os meus na praia? Ahahaha, eu vou causar o maior bafão!

25festapomerana_gato.jpg

E pra fechar a festa (que foi maravilhosa) com chave de ouro… MAÇÃS DO AMOR!!!!!!!

25festapomerana_ma____doamorjpg.jpg

E do tamanho gigante! Agora me dêem licença que vou devorá-las uma a uma!!!! E esperar pela próxima festa no ano que vem que, com certeza, também será ótima!

Dinheiro, pra que dinheiro?

Sunday, January 27th, 2008

Muita gente acha estranho o fato de eu ficar alegre, até eufórica, "simplesmente por causa de um show de Guto e Nando", por exemplo. O que as pessoas não entendem, no entanto, é que eu fico feliz por que vejo meus amigos fazendo sucesso e, isso sim, pra mim, já é motivo de comemoração.

O mesmo acontece quando vejo um gato dormindo ou brincando pela casa com uma bolinha de papel. Ou quando vejo uma de minhas violetas florescer, quando recebo o telefonema de um amigo querido ou quando alguém me diz um ‘muito obrigado’ ou ‘com licença, por favor’.

Eu não tenho a ambição de ter o melhor carro porque eu não trafego pelas melhores estradas. Não tenho a ambição de ter a maior televisão do mercado, porque meu programa preferido é andar na praia que está à minha disposição 24 hs por dia, 12 meses por ano. Eu não uso roupas de grife porque meu nome já é uma grife e eu dito a minha moda. Eu não tenho amigos influentes, mas os amigos que tenho são uma boa influência na minha vida. Eu não tenho o maior salário da empresa, mas tudo que ganho eu gasto com coisas que gosto e que me fazem feliz.

Uma vez, um conhecido disse que eu ‘me nivelava por baixo’, mas de que me adianta ter a ambição de querer mais e mais se eu não vou ser feliz quando tiver tudo? Mesmo porque quando eu reconheço que tenho muito mais que a maioria, eu não me frustro nem fico infeliz porque não posso ter mais. É a famosa situação "não tenho tudo que amo, mas amo tudo que tenho".

E o que eu mais tenho é fé, pensamento positivo e consciência tranquila. E isso dinheiro nenhum do mundo compra.