Archive for February, 2009

Friday, February 27th, 2009

A notícia veio de muito longe de uma pessoa que está perto, muito perto em meu coração. Era pra ser uma notícia ruim, mas com a fé que eu tenho em Deus e com a certeza que eu tenho que Ele me ouve, eu não me abalei. A gente tem que passar por certas coisas na vida pra perceber que não está sozinho. E eu estou com ele pro que der e vier e ele sabe disso. E vamos passar por isso juntos. E comemorar o sucesso juntos! Meu amor não conhece lágrimas nem distância nem tempo nem nada! Minha fé remove montanhas e eu sei o crédito que eu tenho com o pessoal lá de cima! Vamos em frente que atrás vem gente!

Lipstick 2

Sorte?

Friday, February 27th, 2009

hahahaha fui checar as mensagens do Orkut e olha a frase que encontro logo de cara na seção ‘Sorte para hoje’:

A pessoa que lê sua sorte não veio trabalhar hoje. Boa sorte mesmo assim!

Crystal Ball

Minha voz continua a mesma

Friday, February 27th, 2009

… mas meus cabelos…!!! Quem tem mais ou menos a minha idade, vai se lembrar dessa frase que hoje me veio à cabeça quando eu atravessava o jardim florido da empresa para ir almoçar. Tudo na vida tem um ciclo que se inicia e se encerra quando chega a hora certa. As flores brotam, nascem, crescem e morrem, o cinza dá lugar ao verde e vice versa, galhos crescem, outros são podados, nada fica do mesmo jeito que estava ontem, tudo muda.

Aging Woman

Inclusive a gente. Há uns 3 anos, eu era bem diferente do que sou hoje e quando olho pra trás, vejo que era bem irritadiça, impaciente e com a língua solta pra soltar impropérios. Hoje o cenário é bem diferente. Se eu fosse a mesma desses 3 anos atrás, hoje eu não estaria onde estou nem fazendo o que faço nem com quem faço. Com certeza, eu já teria rolado no chão e matado a tapa alguns que me rodeiam.

Aging Woman

Mas eu mudei. Não me irrito com tanta facilidade, sou beeeeem mais paciente e penso beeeeeem antes de falar alguma coisa, muitas vezes preferindo ficar quieta pra não me estressar (a velha história do ‘ser feliz ou ter razão‘).

Aging Woman

Só que aqueles que antes reclamavam do meu temperamento, hoje querem voltar a me ter em suas vidas, em seus braços, em suas camas, mas os tempos são outros e, como eu disse, eu mudei. E se mudei pra melhor, por que vou querer algo ou alguém que não me satisfaz mais, que não está mais à minha altura? Talvez essas pessoas me satisfizessem quando eu era outra, mas hoje? Nãããão, eu quero mais, eu mereço mais!

Peace

Que pena que eu mudei. Pra elas, claro! Pro mundo, a paz está garantida!

Recado dado!

Thursday, February 26th, 2009

… você trabalhou o final de semana inteiro, sacrificou o seu feriado e momentos de diversão e prazer PRA ISSO?????? Só pra isso??? Did I shave my legs for this? Não tem vergonha, não? Tsc tsc tsc Como diria uma amiga, “ô bicho tosco“!!!!!

Thumbs Down

Anjo da guarda sempre alerta!

Thursday, February 26th, 2009

Então, eu já comentei aqui que meu anjo da guarda é um anjo mesmo e que tem alguém lá em cima que gosta muito de mim e me protege quando algo vai dar errado ou que não vai ser bom pra mim. E também que meu sexto sentido nunca me deixou na mão. E vou repetir isso quantas vezes forem necessárias.

Star

Mas mais do que nunca (como diria Faustão, argh!), isso ficou comprovado novamente neste final de semana de Carnaval em duas diferentes oportunidades. Na mais importante delas, a do show de Fernando e Sorocaba na segunda-feira, até eu fiquei surpresa. Eu tava animada, já tinha comentado sobre isso há algumas semanas e tava toda preparada pra ir, já tinha até combinado com outros amigos. Era logo ali, do outro lado da cidade, percurso de uns 7 km que eu faço andando à pé numa boa, tranquilamente, só pra não ter que ficar parada no trânsito e ter que largar o carro na mão dos flanelinhas que começaram a se proliferar por aqui.

Moon 2

Mas quando chegou a hora… ah, algo me dizia que não era pra eu ir. Um amigo ligou, disse que já tinha o meu ingresso em mãos e que depois do show a gente iria ao camarim falar com os meninos… mesmo assim, eu não me animei. Achei estranho… eu tava tanto querendo ir, afinal de contas é o segundo show deles este ano na cidade (ou bem perto, o outro foi em Porto Belo) e eu não ia? O que tava acontecendo comigo? Uéééé….

Star

Me sentei no sofá e comecei a enumerar os prós e contras (e quando faço isso é porque o negócio não é bom, porque se fosse bom, eu ia sem pensar): vai estar cheio de gente bebendo e fumando, não vai ter lugar pra estacionar, o show vai atrasar pra começar, na volta vou topar com vários bêbados e drogados na praia (até então, nada de positivo na lista)… ou seja, tudo motivo pra eu não ir.

Moon 2

Mas eu queria ir. Mas algo me dizia lá no fundo pra ficar em casa, que eu ia me incomodar. Resolvi ligar a Tv e o canal TNT estava reprisando o Oscar que eu já tinha visto na noite anterior… eu me ajeitei no sofá e fiquei vendo… e vendo… e vendo… até que disse pra mim mesma: “Quer saber, vou ficar em casa, algo me diz pra não sair”.

Star

Dito e feito! Hoje fiquei sabendo que o show foi um fiasco, que as portas do estacionamento onde seria realizado o show (e que eram para ser abertas às 19 hs com o primeiro show de uma dupla convidada começando às 22 hs e o show de Fernando e Sorocaba começando às 23 hs) só foram abertas após as 23 hs e que o povo que tava do lado de fora já tava pra lá de bêbado e fazendo arruaça. Às 4h30 da manhã, ainda tinha música rolando e gente gritando… a irmã de um amigo disse que siau na metade de tão ruim que estava a organização e o show em si.

Moon 2

E eu cá com meus botões só dizendo pra mim mesma, baixinho: “Eita, anjo bom que não me deixou sair de casa“… decerto que eu teria me incomodado um monte e voltaria pra casa com um bico maior que sei lá o que. Por isso, quando vi que todos os planos que eu tinha feito para meu feriado não tinham dado certo, eu entendi que tudo era pro meu bem e não fiquei brava. Meu anjo nunca se engana. Mais: ele nunca me engana e isso já me basta!

Jota Quest ao mar

Wednesday, February 25th, 2009

Ontem o dia amanheceu sem sol e eu adorei, pois tava precisando de um motivo para atacar dois armários nos quais eu ainda não tinha dando aquela geral de feriado… e após 6 hs de abre-gaveta-e-checa-o-que-tem-dentro, o que restou foram 4 sacos grandes de papel rasgado e muito, muito mais espaço livre para o ar e as boas vibrações circularem livremente. Agora sei exatamente o que tenho e onde está e fico com a sensação de dever cumprido e organização que só uma secretária trilíngue executiva como eu gosta de ter!

Depois de tudo arrumadinho e limpo, o final da noite prometia ser de calma e tranquilidade quando amigos ligaram me convidando para o show de J. Quest que seria de graça na praia, na Barra Norte, em um palco montado para o carnaval. Não sou fã nr. 1 da banda e sei apenas algumas músicas, mas não sou de negar convite de amigos do coração, então me aprontei e às 22 hs já estava na praia… eu e mais umas 5 mil pessoas (show de graça é uma desgraça!).

Não tinha um espaço livre na rua nem nas calçadas e os prédios estavam salpicados de gente assistindo de camarote, mas como não conhecíamos ninguém que morasse nesses prédios, resolvemos ir pelo mar, hehehe isso mesmo, pela água que, graças a São Pedro (e a dezenas de pessoas que vimos fazendo xixi!), estava morninha! O show foi antecedido por fogos de artifício e enquanto a maré não subia, a gente se desejava Feliz Ano Novo e se divertia!

O show começou com apenas 30 min de atraso, mas não empolgou, pois o som tava péssimo e eles só tocaram músicas lentas. Por sorte, as crianças que estavam conosco (que gosto tanto que chamo de meus filhos adotados do coração), sabiam mais que eu e me ensinavam as letras. Aliás, eles são ótimas companhias para shows e vou levá-los aos próximos, pois são mais animados que muita gente grande que eu conheço!

Maria, eu, Fernanda e Pedro

A maré foi subindo e a gente foi se aproximando mais do palco, mas chega uma hora que o show de graça mostra o seu valor e os bêbados de plantão começam a fazer bagunça e a estragar a noite dos outros, então resolvemos ir mais pra trás para ficarmos em segurança (olha eu me preocupando com as crias!).

Mas não arredamos os nossos pés molhados de lá e ficamos juntos, unidos até debaixo d’água até o final do show. Passava da meia noite quando resolvemos ir pra casa, caminhando ao som dos tênis cheios de areia e encharcados pela água do mar. Mas nada como chegar em casa e tomar aquele banho quente e dormir numa cama com roupa de cama limpinha cheirando a amaciante… ai, ai, lar doce lar.

Força aí, Péricles

Wednesday, February 25th, 2009

Não sou fã do estilo musical do Exaltasamba, mas fiquei fã do Péricles em Dezembro, quando o vi sentado ao meu lado na praça de alimentação do Shopping Atlântico, aqui em Balneário Camboriú, atendendo a dezenas de fãs que vieram interromper o seu almoço à procura de autógrafo e uma foto. Ele foi super gentil com todos e eu mesma, antes de sair, fui falar com ele. Disse a verdade, que não era mais uma fã, que não conhecia uma música sequer, mas só de vê-lo tão simpático com todos virei fã dele e que ia procurar saber mais sobre a banda e seu estilo musical. Ele me disse que estaria fazendo show naquela noite na cidade, mas calhou de ser no mesmo dia do show de Hugo Pena e Gabriel e eu expliquei a ele que essa era mais a minha praia, hehehe mesmo assim, ele foi muito gentil. E agora, ao chegar em casa, soube que o ônibus em que ele e a banda estavam sofreu um acidente na Régis Bittencourt ao voltar de um show aqui em Santa Catarina. Torço para que todos estejam bem e que se recuperem logo, pois o carisma e a simpatia do Péricles me contagiou e mesmo sem conhecer uma música da banda, me preocupo com os seres humanos que dela fazem parte! Força aí, rapaziada!!!

Respeito, confiança e paciência

Tuesday, February 24th, 2009

Não sou de comprar essas revistinhas de mulher, mas ao folhear uma delas, não pude deixar de ler uma matéria com a Regina Duarte e de concordar com ela. Ao responder uma pergunta sobre relacionamento, ela afirma que ‘toda relação deve ser baseada no tripé respeito, confiança e paciência“.

E é verdade, uma relação só dá certo se colocarmos em prática:

  • Respeito, porque eu também quero que a pessoa me respeite e não me subestime;
  • Confiança, porque se você confia, você cuida, preza e respeita;
  • Paciência, porque se melindrar por qualquer coisa é estragar a saúde (e a relação também!).

Numa relação, eu não preciso de amor, mas se faltar respeito, confiança e paciência, a coisa não anda. Amor, um dia, acaba, mas se esse amor foi baseado em respeito, confiança e paciência, a relação ainda tem muito para dar certo.

Mas eu também aplico esse tripé nas minhas relações de trabalho e de amizade. Será esse o segredo do meu sucesso?

Valentine heart plant

Navegay… fraco!

Monday, February 23rd, 2009

Pois é, este ano o Navegay tava bem fraco, pouca gente, poucos carros alegóricos e muitos bêbados e gente mal vestida. Segundo os foliões, tudo culpa do novo prefeito que não divulgou nem ajudou a organizar o evento. Uma pena, ano passado tava lotado e muito animado! São Pedro fez a sua parte e mais uma vez ajudou nos dando um dia de sol lindíssimo! Mas, apesar dos pesares, me diverti muito, pois o pessoal tava bem alegre e colorido (e tinha muito homem bonito desta vez, nossa!).

Mas vamos às fotos das divas e das noivas…

Dos caras de apetitosas coxas grossas…

Dos bumbuns gostosos das zebrinhas…

Do pessoal que leva a sério e vem fantasiado mesmo pra festa (e eu não tava menos fantasiada, hehehe arrasei no meu macacão comprado por US10,00 em Ny há alguns anos)…

Aí encontrei dois amigos amados!

E fechei o dia com um gladiador!!!

Fraco ou não, eu realmente me diverti muito!

Raiva

Monday, February 23rd, 2009

Você já ficou com raiva de uma pessoa? Já, com certeza, várias vezes. E como você reage? Grita, xinga, rasga fotos com ela, quebra coisas e acaba verbalmente com a raça dela, incluindo aí seus pais, irmãos, filhos e netos e quantas gerações puder, certo? Certo.

Pois é, eu também era assim, mas eu mudei, acho que foi a idade, não sei. Não, idade, não, acho que foi a maturidade. E a experiência que acumulei em 47 aninhos de vida convivendo com todo tipo de gente.

Hoje, quando eu fico com raiva, eu respiro fundo e analiso o que aconteceu e na maioria das vezes eu vejo que a culpa é mais minha que da outra pessoa. Sim, pois pra variar eu esperei demais, eu confiei demais, eu acreditei demais e a pessoa não tem culpa se eu projeto nela o que eu sou, o que eu quero.

Eu sou uma pessoa que respeita o outro, que ouve, que escuta, que procura entender e mesmo que eu não concorde com ela, exponho meus pontos de vista claramente, honestamente, sem ofendê-la ou menosprezar o que ela sente e do que ela gosta ou o que ela quer pra si mesma.

Se eu prometo, eu cumpro. Se eu falo que vou fazer, eu faço, mas se eu falo que não gosto, não abro mão. Se eu não quero algo, deixo claro desde o começo, não tenho medo não enrolo nem finjo algo que não sou. Eu sei que sou radical, mas uma radical chic, que aceita as diferenças, mas que não necessariamente precisa conviver com elas.

Eu posso até dizer  que ‘vou tentar‘, eu me dou uma, duas chances, mas na melhor de três, eu deixo claro que não tem jeito. Eu não desisto antes de tentar, nunca. Mas quando eu digo não, é não e pontofinal.com.br.

Por isso hoje eu dou à pessoa o que ela precisa, não o que ela merece. Em momentos de raiva, quando a gente explode e revida, a gente dá o que a pessoa merece, ou seja, age como ela, ataca, agride, ofende e machuca. Mas hoje eu aprendi a dar o que ela precisa: dou exemplo. Como uma criança, um adulto também aprende por exemplos e só faz o que fazem com ele.

Por isso, se eu projeto algo em alguém, se eu espero algo de uma pessoa e essa pessoa não corresponde, não adianta eu ficar brava com ela. Ela, com certeza, não tem ainda a mesma maturidade que eu para ver que está agindo errado, então eu não posso sentir raiva de alguém que age por ignorância.

Tá, se a pessoa faz algo de propósito, eu fico com raiva mas mesmo assim eu dou o exemplo. Quem sou eu pra julgar e executar? Deixo que a vida faça isso com a pessoa e, uma hora, mais cedo ou mais tarde, ela cai em si e vê que agiu errado e que você, mesmo morrendo de raiva, não revidou. Apenas se deu ao respeito, pois se eu não me respeitar, quem vai fazê-lo?

Por isso, em vez de sentir raiva, eu respeito. E saio de cena com a cabeça erguida e com o sentimento do dever cumprido. Eu, pelo menos, fiz a minha parte!