Archive for June, 2009

GatYIN GatYANG

Tuesday, June 30th, 2009

Vocês conhecem aquele símbolo do Yin Yang que, segundo a filosofia chinesa, é a representação do positivo e do negativo, onde um não vive sem o outro?

yin-yang

Pois eu tenho isso em casa… em formato de gato, vejam:

gn_pompom_yinyang1

Estes são Pompom Licassi e Gutoenando, ambos adotados através do Adote Um Gatinho com a diferença de mais de um ano entre uma adoção e outra, mas o impressionante é que os dois se amam de paixão e não se desgrudam um instante. Talvez por terem o mesmo passado sofrido, talvez por serem os caçulas… mas acho que é mesmo porque são amados e queridos e abençoados por São Francisco de Assis! Vão ser fofos assim lá em casa hehehe

Palmas para o Carlão Pacheco

Monday, June 29th, 2009

Quem me conhece, sabe que se eu tenho que descer a lenha em alguém ou alguma coisa, eu desço mesmo, sem dó nem piedade (crítica construtiva, claro, hehehe). Mas também não economizo em elogios quando a chance aparece, como é o caso agora.

Quero dar meus parabéns ao Carlão Pacheco por estar há quase 70 dias sem fumar nem beber cerveja, uhuuuu!! Estou super orgulhosa de ti e te digo: se isso é por mim, posso te garantir que valho à pena (hahaha além de tudo ainda sou metida e me acho, pode isso?).

Brincadeiras à parte, tenha certeza que esta é a melhor atitude que você pode ter com você mesmo, Carlão! Parabéns e continue assim que você só tem a ganhar!!

Clapping Hands

Tati e Nath

Sunday, June 28th, 2009

Está fazendo bastante frio em SC e isso faz com que a gente coma mais… sexta à noite saí para jantar com minha prima Tatiana (dizemos que somos “primas” porque temos o mesmo sobrenome, hehehe). Nós trabalhamos juntas em Itajaí e quando ela saiu da empresa e foi estudar na Austrália, conheceu o Nath, eles se apaixonaram e se casaram e como é a primeira viagem dele ao Brasil, o levamos a uma churrascaria para experimentar as delícias da carne.

Ao chegar, demos muita risada com o garçom que achou que EU era a estrangeira (ele disse que eu falava inglês bem e depressa e que por isso achou que eu era “de fora”, hehehe ganhei a noite!), mas o restaurante não era rodízio, então escolhemos uma boa picanha e uma linguiça recheada com queijo (que estava di-vi-na)! O rodízio mesmo, claro, ficou pra terça à noite (porque eu já tenho um churrasco na casa de amigos na segunda à noite)… sentiram o drama, né? Ficamos horas comendo e conversando, comendo e conversando… nossa, como a gente tem assunto, hehehe mas deixamos alguma coisa para a terça!

Agora vejam o presente que eles me trouxeram da Austrália (além de uma camiseta cor-de-rosa linda com koalas e cangurus): um porta-lenço de papel em forma de sofá… não é a coisa mais mimosa e querida que vocês já viram na vida? Eu fiquei encantada (e não tenho dúvida alguma de que se a Snoopy estivesse viva, ia fazer dela um ninhozinho!)…

porta-lenco-australia

Tati e Nath, obrigada pelo carinho e pela amizade. Desejo de coração que vocês sejam muito, mas muito felizes mesmo, viu?

E a vida continua

Sunday, June 28th, 2009

… tá, ainda dói ver a Shania miando pelo apartamento à procura da Snoopy, ainda dói quando olho a plaquinha colada à minha porta que diz “Aqui moram sete gatos e sua dona de estimação“, ainda dói quando coloco 7 pratos de ração e me lembro que agora são apenas seis… mas, enfim, a vida continua e tenho que seguir em frente com força e coragem para cuidar dos meus seis filhotes que ficaram e também estão tentando aceitar a perda, né? Obrigada a todos pelo carinho e pelas incansáveis tentativas de me animar… aos poucos, eu volto ao normal, pode deixar!

Cheer Up!

Sábado à noite de chuvisco e frio, nada melhor que fondue de queijo e de  chocolate regado a vinho tinto e branco na casa da Rose em Blumenau (Vanessa e Giselle, vocês fizeram falta, viu?) …

rose_rosinha1

… seguido de um bailão com Dany & Rafa e sua nova música “Amor de Balada” (“Para de ligar pra mim de madrugada achando que eu sou seu novo amor, só porque a gente ficou lá na balada, você pode até estar a fim mas eu não tô“) e Teo & Edu com “A Fila Andou” (“… não sou mais alguém que você tem a qualquer hora, quando tinha usou, abusou e jogou fora… a fila andou, você passou e eu tô bem e já não devo satisfação pra ninguém, hoje o que eu quero é balada e curtição, vou encontrar alguém pra dar meu coração“). No domingo pela manhã, fui com a Rose ao estúdio de Tv para vê-la apresentando ao vivo o programa da Trimania e foi bem legal, gostei. Pena que eu não ganhei o carro, mas semana que vem eu jogo de novo, hehehe

In Memorian: Snoopy

Tuesday, June 23rd, 2009

snoopy

Pois é, gente… o céu dos gatinhos acaba de ganhar mais uma nova moradora… minha gatinha Snoopy faleceu esta noite de problema renal crônico. Ontem pela manhã, levei-a ao vet para fazer exame de sangue, apesar de a vet dizer que poderia ser no final da tarde pois ela estava bem. Mas coração de mãe não se engana e tem pressa. Segurei-a com carinho enquanto o vet tirou o sangue dela (da jugular) e deixei-a lá tomando soro, já que estava bem fraquinha apesar de todo o cuidado que tive com ela no final de semana.

Sou contra me separar dos meus gatos e jurei nunca deixar um bichinho meu sozinho numa clínica, mas o estado dela era grave, eu sabia… eu já sentia o cheiro de morte, mas não queria aceitar, queria lutar e fazer o possível e impossível até o fim. Eu estava tão chateada, tão chateada que no caminho de volta bati meu carro… sim, não vi que o carro da frente tinha parado e fui direto… bum! Quando me dei conta, tinha entrado na traseira de um Palio novinho em folha… só debrucei-me no volante e disse “Meu Deus, eu bati!”.

O cara desceu do carro e veio direto pra cima de mim, mas quando abri minha porta, só pude dizer “Meu Senhor, me perdoe, eu não estou bem e juro que não o vi… achei que o Senhor tinha ido” e ele “Mas vinha vindo um carro, eu não tinha como ir” e eu “Eu sei, me perdoe, eu errei mesmo, não vi… mas o Senhor está bem? Seu carro estragou?“. Por sorte, muita sorte, não tinha acontecido nada (a batida foi feia, juro, fez um barulhão!). Ele ainda perguntou sobre meu carro, mas eu disse “Isso nao me importa, é lataria, eu não ligo pra isso“. Aí pedi perdão novamente e ele ainda me deu a mão em sinal de ‘tudo bem’ e seguimos nossos caminhos. E eu rezando para não acontecer nada no caminho da empresa…

Mas quando tem que acontecer… no meio da BR 101, o que eu vejo? Um bezerrinho correndo no meio da estrada com uma cordinha amarrada ao pescoço… tinha fugido de algum pasto e do jeito que ia, não ia viver pra virar bife! Diminuí a velocidade, liguei o pisca alerta e todos os carros atrás de mim fizeram o mesmo e acho que um casal que vi no acostamento pegou o bichinho antes que ele fosse atropelado e causasse um acidente.. e eu pensando na minha gatinha lá naquela clínica, toda entubada, tomando soro na veia. Quem diz que eu consegui trabalhar?

Por volta das 11h30, o vet me telefonou dizendo que o quadro era mesmo gravíssimo. A creatinina dela estava em 11 (quando o normal pra gato é 1,8 – segundo ele, se fosse um humano já estaria morto!) e que ela teria que ficar internada pelo menos 3 dias para tomar soro e fazer novos exames. Pedi a ele para fazer de tudo e que dinheiro não seria o problema e ele disse que faria o melhor dentro do quadro clínico grave em que ela se encontrava.

No fim do dia, passei lá para vê-la e ela tava bem abatida, mas mesmo assim, mesmo no soro, se levantou e quis vir no meu colo. Eu enchi-a de carinho, ela ronronou bastante, mas mal conseguiu miar de tão ruinzinha que estava… saí de lá arrasada. Por volta da meia-noite, liguei para saber como ela estava e me certificar de que ela não estava passando frio e o vet me garantiu que ela estava com um aquecedor na sala. E como explicar pra Shania que a Snoopy não ia voltar naquela noite e talvez nunca mais? As duas eram muito ligadas e a Shania ficava andando de um lado pra outro miando à procura da Snoopy que até hoje, aos 10 anos, mamava nela… me cortou o coração e assisti o CQC chorando de molhar o pijama e fui pra cama com os olhos inchados e sabendo que tão cedo ela não voltaria a dormir na minha cintura como só ela sabia fazer…

hallmark1

Hoje cedo cheguei na clínica às 07h20 e aguardei a chegada do veterinário dela e ficamos conversando até 08h40 discutingo como seria o procedimento caso fosse problema renal agudo (hemodiálise todos os dias – ou seja, eu ia ter que aprender a dar injeção subcutânea e comprar ração especial para doença renal) ou crônico (teria que sacrificá-la…).

Resolvi não pensar no pior, enchi-a de beijos e carinhos e fui para o trabalho com o coração partido, mas prestando atenção ao trânsito. Liguei na hora do almoço e tudo estava bem. À tarde, pesquisei sobre hemodiálise em gatos, medicamentos importados, como dar injeção, etc e tal… Às 18h liguei novamente e o vet me disse que ela tinha dado uma melhorada e eu fiquei mais aliviada.

Fiquei um pouco mais além do horário para terminar um trabalho e apareceu uma apresentação que teria que ser entregue ao vice presidente amanhã, mas como sou profissional e não deixo nada pro dia seguinte, resolvi olhar e corrigir o que tinha pra ser corrigido e ir embora tranquila, pois sabia que a Snoopy estava bem.

Saí da empresa às 19h45 e ainda pedi a Deus “me proteja na estrada, pois vou ter que correr… e cuide da minha Snoopy, por favor“. No meio do caminho, resolvi checar as mensagens no meu Blackberry e vi um torpedo do vet dizendo “liga pra mim“… quase saí da estrada… Liguei pra ele e ele me deu a triste notícia que ela tinha acabado de falecer… exatamente no horário que eu saí da empresa…

Cheguei à clínica e o corpinho dela ainda estava quente… segurei sua cabeça em minhas mãos e beijei-a muito. O vet ainda disse que ela estava cheirando forte por causa da creatinina que já estava na pele, mas quem disse que eu estava sentindo algum cheiro? Pra mim, era o meu bebê que estava ali inerte, sem vida, que não tinha esperado eu chegar. O vet me tranquilizou dizendo que eu fiz tudo certinho e que era um caso crônico, que isso acontece, nem sempre a gente consegue ver com antecedência, mas que ela não tinha sofrido.

Ele me deixou a sós com ela e agradeci-a por 10 anos de amor e alegria, pedi perdão se errei e por não estar lá em seu último suspiro, mas não tinha que ser… eu já passei por isso uma vez com minha gata Mitzi que deu o último suspiro olhando para mim e foi terrível… eu chacoalhava a gata querendo trazê-la de volta, mas… era a hora… acho que a Snoopy quis me poupar. Acariciei todo o corpinho dela pela última vez, beijei-a no nariz como eu sempre fazia, cobri-a e saí sem olhar pra trás…

A imagem que quero guardar dela é a de hoje cedo, dela ronronando, me enchendo de carinho e se refresquelando toda pro meu lado apesar de fraquinha. Aqui agora falta um, mas o céu dos gatinhos ganhou um anjinho. Ela fará muita falta, era peralta, barulhenta, voava pela casa e eu costumava chamá-la de ‘meu morceguinho’ por ser vesguinha, mas sua hora chegou…

Obrigada a todos pela força e pelo carinho. Se eu vou pegar outro gato? Não, vou cuidar dos que ficaram e no sábado levarei todos ao vet para fazer exame de sangue e saber se algum tem predisposição a ter doença renal. Se tiver, ainda temos chance de cuidar melhor. No caso dela, como ela estava saudável, nem passou pela minha cabeça que ela poderia vir a desenvolver algo. Inclusive, ela tinha consulta hoje para limpeza de tártaro e eu ainda brinquei com a vet dizendo “Tu acabaste de perder uma paciente… a Snoopy  morreu”, enquando chorava  e beijava a patinha dela… a vet não sabia o que dizer, pois ela é quem tinha me atendido à tarde e dito que ela tinha melhorado… ninguém entende!

E já me decidi: quando todos se forem, vou trabalhar como ‘lar temporário para gatos doentes’… tipo gato com câncer, com PIF, com algum defeito… já que é pra morrer logo, que sejam bem cuidados… assim tento não me apegar e dar o melhor de mim para os últimos dias do bichinho.

Pra fechar este longo e doloroso post, duas imagens que ilustram bem o nome que ela teve: Snoopy… o cãozinho que dormia em cima da casinha (e ela agora dorme em cima de uma nuvenzinha bem fofinha!).

snoopy1Paco e Snoopy

cats_computerSnoopy e Shania

Terceira Dimensão

Monday, June 22nd, 2009

O mundo nunca deu o devido crédito para ele, mas ele sempre foi o primeiro: o primeiro a inventar o video clip, o primeiro a ganhar o prêmio de Melhor Video Clip dado pela MTV americana (e também um Grammy), o primeiro a fazer chat em terceira dimensão… ah, tá, ele só foi o segundo a sair do grupo porque o Peter saiu primeiro, buhhh. Eu tô falando de Michael Nesmith, o nosso querido Nez, aquele do gorrinho verde dos The Monkees. Ontem à noite ele fez a leitura do primeiro capítulo de seu novo livro, ‘”The America Gene“, e foi muito legal. Antes da leitura, porém, fomos brindados pela voz maravilhosa e pelo estilo ímpar de Carolyn Wonderland, de quem já virei fã.

nez

Às 21 h do Brasil, ele entrou com seu ‘avatar’, sentou-se em uma poltrona no palco, brincou com todos e fez a leitura. Estávamos em mais de 80 pessoas online e o espaço ficou pequeno pra tanta gente hehehe mas foi emocionante ouvir a voz dele… aquela mesma voz linda e maravilhosa e charmosa e, ah, tudibão que ele tem!! Pena que meu computador não tenha uma memória boa (apenas uma vaga lembrança e é tão devagar que se eu colocar duas tartarugas na CPU, uma engravida e a outra foge!!!) e eu tive que me reconectar várias vezes porque o sistema simplesmente travava, mas mesmo assim foi muito bom, pois além de deixá-lo feliz sabendo que o Brasil tava ali, marcando presença, pude encontrar outros amigos online e foi uma farra. Gostei e vou voltar mais vezes, nem que seja pra me sentar naquele bar (Ed’s October Café) e curtir um som!

Sem querer saiu

Monday, June 22nd, 2009

E tava eu, depois do banho, sem almoço nem janta, cansada do corre corre com a Snoopy nestes três últimos dias, sem ter feito nada do que eu havia planejado, com o Gutoenando estressado porque não conseguiu ficar no meu colo um segundo, com o Pompom Licassi se pendurando no meu pescoço a todo instante, carente de atenção, com o Paco tentando subir pelas minhas pernas para ganhar carinho, com a Mimi, Shania e Katita me rodeando e me fazendo me sentir querida (as meninas são as que mais me entendem, hehehe), quando passo pelo computador e vejo um comentário no meu blogt. Era da amada Emily, que no seu blog Sem Querer Saiu colocou um vídeo de um gatinho preto brincando na água, dentro de uma banheira e ainda ofereceu pra mim, vejam que fofa!!!!! Emily, querida, amei, amei, amei e ganhei a noite, viu?

Flowers And Hearts

Companheirismo

Sunday, June 21st, 2009

Meu gato Pompom Licassi, que foi adotado quando eu o vi no site do Adote Um Gatinho e me apaixonei à primeira vista justamente porque ele tinha somente um olhinho, é a coisa mais amada e querida deste mundo. De todos que tenho, é o gato que mais sofreu desde que nasceu, pois era saudável, mas como não cuidaram bem dele quando ele teve uma alergia no olho, acabou sendo jogado na rua quando adoeceu e foi largado na porta da veterinária, mas aí já era tarde demais e ela teve que tirar seu globo ocular direito. Depois disso, ainda passou por duas operações para fechar o olhinho, mas nunca deu o menor trabalho, pelo contrário, sempre foi um gatinho forte e lutador. E hoje ele dá seu calor e seu apoio à Snoopy, que ainda tá toda jururu, ficando ao lado dela.

snoopy_pompom

Acabamos de voltar do veterinário e graças a Deus, ela conseguiu eliminar tudo que tinha de ’empacado’ dentro dela, o problema é que ainda tá bem fraquinha, pois faz quase 2 dias que não come direito. Desde ontem tenho dado água de côco e ração úmida dissolvida em um pouco de água com uma seringa de 3 ml e isso é o que está mantendo-a pelo menos em condições de caminhar um pouquinho. Mas é de cortar o coração vê-la assim quietinha, logo ela que é tão espoleta e tá sempre correndo pela casa. Amanhã vou levá-la para fazer exame de sangue para ver se é algo mais grave que os raio-x não conseguiram mostrar e torcer para que seja apenas fraqueza mesmo. Este final de semana fiquei por conta dela, não fiz nada do que tinha me programado, mas pelos meus babies eu faço qualquer coisa! Vê-los saudáveis é o que mais me importa, custe o que custar!

Tem culpa eu?

Sunday, June 21st, 2009

Eu entro numa loja e vejo uma bota linda de viver… pergunto o preço e depois qual o número. A vendedora, toda solícita, diz “Este é um nr. 36, quer experimentar?“. Aí eu digo que meu número é 33 e ela, com aquele olhar de surpresa-espanto-crítica, exclama aos brados: “Mas seu pé é muito pequeeeeeeno“… tem culpa eu? Só não dou um pé na bunda dela porque ela nem ia sentir, hehehe

Kick Me

Casa de amigos

Sunday, June 21st, 2009

Eu posso dizer que minha casa também é a casa dos meus amigos. Eu não tenho intolerância à lactose, mas uma amiga tem e no meu armário você encontra leite condensado de soja, creme de leite de soja, leite de soja… Eu não tenho diabetes, mas na minha geladeira você encontra doce de leite diet, geleia de frutas vermelhas diet, sorvete diet, vinho tinto seco… Eu moro sozinha, mas tenho um quarto de visitas com bicama e espaço em gavetas e armários para abrigar quem precisa e por quanto tempo for necessário.

A única coisa que não tenho em casa é cinzeiro. Mas, pensando bem, os poucos amigos fumantes que eu tinha pararam de fumar!